01/04/15

CINE INFANTE


O projecto de formação em cinema "Cine Infante" é direcionado aos mais jovens. O vídeo-registo foi feito pelo grupo de jovens de S.Roque do Instituto de Apoio à Criança - Animação de Rua de Ponta Delgada. Nos três dias em que decorreu a oficina abordou-se cinematografia, montagem e elaboração de ideias para guião. Este projecto tem o apoio da DRAC e concepção, realização e produção da Associação Corredor.




28/09/14



A curta "Leopoldina" foi distinguida com o prémio Melhor Filme em Ficção / Regional no V Curtas Metragens da Ribeira Grande.


Realização
Tiago Melo Bento

Assistência de Realização
Frederico Lobo

Montagem
Tiago Melo Bento
Tiago Hespanha

Actores
Felícia Kettenbaum
Tom Kettenbaum
Vítor Vitória
Mariano Teixeira

Produção Corredor
Catarina Ferreira
Ricardo Cabral
Paula Coelho
Maria Medeiros
Francisco Melo Bento

Câmara
Tiago Melo Bento

Répérage
Luís Martins
Tiago Melo Bento

Guarda-Roupa
Sandra Botelho
Paula Coelho
Teatro da Barraca


11/09/14

LEOPOLDINA de Tiago Melo Bento





Está para breve a estreia de LEOPOLDINA. Uma curta Ficção 16' P&B de Tiago Melo Bento com produção Corredor - Associação Cultural


Link para Trailer: https://vimeo.com/100336734

17/02/14

WALK&TALK by CORREDOR


Trabalho que resultou do workshop que fizemos em Agosto de 2011 aproveitando a 1ª edição do Festival Walk&Talk




Para ver o trailer : W&T by C


03/02/14

"LUANA"



LUANA Doc 16:9 19'30
Co-realização Maria Simões | Tiago Melo Bento
Co-produção Corredor | Descalças



Luana é uma menina que vive num sítio distante sem luz eléctrica ou água canalizada.  Em Cabo Polónio, Uruguai, os dias têm um ritmo próprio marcado pela poderosa Natureza que ali sobrevive rebelde. Os lobos marinhos dormem e coçam as costas enquanto ela aprende a ler à luz da vela. 


17/10/12

Nova exibição do " Montar a Tenda "


O filme "Montar a Tenda" será exibido novamente no Auditório do Ramo Grande na Praia da Vitória no dia 1 de Novembro, quinta-feira pelas 17h30





 Durante o Carnaval, por toda a ilha Terceira enchem-se plateias. De palco em palco quebram-se as fronteiras entre jovens e idosos, pobres e ricos, homens e mulheres. Cada um deles será em algum momento actor, dançarino, músico ou espectador. Os ciclos de espectáculos dividem-se entre risos e lágrimas, danças de espada, danças de pandeiro, comédias e bailinhos. Neste documentário acompanhamos alguns dos grupos que dão corpo aos vários espectáculos, na tentativa de compreender todo o envolvimento, dedicação e significado que estas manifestações representam ainda hoje para a sociedade e cultura terceirenses, naquilo que transforma a ilha no maior palco de teatro popular do mundo, o Carnaval da ilha Terceira.

13/08/12



A Estreia do documentário Montar a Tenda de Montserrat Ciges, sobre o Carnaval da Terceira está prevista para dia 02 de Setembro, pelas 21h no Auditório do Ramo Grande, na Praia da Vitória.

Este documentário insere-se no trabalho de investigação sobre o Património Cultural Imaterial que a Montserrat Ciges vem fazendo desde janeiro de 2011 e foi rodado nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2012

O Património Cultural Imaterial faz parte do âmbito de trabalho da Corredor na sua vertente Vídeo/Cinema e é um dos aspetos mais importantes do plano de atividades de 2012.
"Montar a Tenda" Carnaval da Terceira
16:9 60'

Produção

Corredor Associação Cultural

Realização

Montserrat Ciges

Câmara e Som

Montserrat Ciges
Tiago Melo Bento

Montagem

André Correia
Federico Bejar
Montserrat Ciges
Tiago Melo Bento


22/05/12

LeS ombRes dE l'exiStencE


Uma instalação é uma manifestação artística onde a obra é composta por elementos organizados num ambiente. A disposição dos elementos no espaço tem como finalidade criar uma relação com o espectador. É uma obra de arte que só "existe" em exposição, podendo ser caracterizada como efémera.
O grande propósito desta instalação é gerar a reflexão, ou seja a ponderação, meditação e pensamento do espectador sobre a vida (tempo que decorre desde o nascimento até à morte; existência) e as decisões tomadas que podem e devem ser repensadas. Mostrando-lhe experiências do quotidiano, vivências como relações interpessoais e ambiências.
A instalação divide-se em três grandes momentos que acontecem em simultâneo, a cidade, a projecção  e o armário de “post-it”. Na cidade retratamos uma ambiência comum à maior parte dos espectadores, esculpida com latas de refrigerante e garrafas, fazendo o uso da shadow art (variante da escultura na qual as sombras bidimensionais são produzidas através de esculturas tridimensionais). A projecção consiste na passagem de vários videos e imagens aleatórias para o pano atravessando a silhueta de um humano dando a ideia de estarmos dentro da sua mente. O armário coberto de “post-it”, no qual alguns estão escritos e outros servem para que o espectador depois possa deixar as suas próprias histórias e outros se relaccionem com elas.
Na envolvência deste espaço apresentamos ainda, dois elementos: o desenho à entrada na porta e as almofadas simbolo de objectos do quotidiano. Pretendemos marcar o espectador recorrendo à ferramenta que melhor conhecemos, a arte.

Projecto “Vida”
Por: João Borges, Maria Inês Silva e Tomás Toste