09/09/15

OFICINA DE INICIAÇÃO AO CINEMA


A Corredor - Associação Cultural promove na próxima semana uma "Oficina de Iniciação ao Cinema". Será dividida em três módulos: guionismo, realização e montagem. Conta com os formadores Gonçalo Teles, Tiago Hespanha e Francisco Costa (professores universitários e profissionais de cinema com filmes premiados). Conta com as parcerias da NGO Green Meridien, do 9500 Cineclube, do Museu Carlos Machado e Teatro Micaelense e com os apoios da SATA, Câmara Municipal de Ponta Delgada e Direção Regional da Juventude, e eventualmente o apoio dos Serviços de Ação Social da Universidade dos Açores.

Esta oficina implementada no âmbito das acções de formação desenvolvidas pela CORREDOR, foi patrocinada pelo programa ERASMUS +, no contexto do projecto CRIATIVIDADE AO SERVIÇO DO EMPREENDEDORISMO, e conta com a participação de formandos vindos da Letónia e locais.




LOCAL: TEATRO MICAELENSE / IGREJA DE SANTA BÁRBARA DO MUSEU CARLOS MACHADO


PREÇO: 25 EUROS


INSCRIÇÕES: corredorass@gmail.com | 917173771


BIOGRAFIA DOS FORMADORES


Gonçalo Galvão Teles

Nascido em 1973, Gonçalo Galvão Teles formou-se em Direito pela Universidade de Lisboa antes de viajar para os Estados Unidos onde concluiu o Mestrado em Escrita de Argumento para Cinema e Televisão na prestigiada Universidade do Sul da Califórnia.

Regressado a Portugal, o seu primeiro argumento produzido, a curta-metragem de animação “A Suspeita”, ganhou o Cartoon D’Or para melhor filme de animação europeu do ano 2000. Desde então, Gonçalo Galvão Teles tem vindo a desenvolver uma carreira como argumentista, realizador e produtor de vários filmes, onde se incluem os telefilmes “Teorema de Pitágoras” (argumentista e realizador), “A Noiva” (co-realizador) e “Jogo da Glória” (argumentista), as longas-metragens “O Jardim do Outro Homem” e “O Último Voo do Flamingo” (argumentista), e as curtas-metragens “O Outro Lado do Arco-Íris”, “Senhor X” e “Antes de Amanhã” (Prémio de Melhor Curta-Metragem do Festival Caminhos do Cinema Português, Grande Prémio Ovarvídeo e Grande Prémio do Festival Internacional de Curtas-Metragens do Mediterrâneo), todas como argumentista e realizador. Concluiu recentemente a longa-metragem “Gelo”, que escreveu e co-realizou, com estreia prevista para o final de 2015.

Paralelamente, tem desenvolvido uma carreira como professor, tendo ministrado workshops para várias entidades e assumido, desde a sua fundação em 2007, a responsabilidade das cadeiras de escrita de argumento do Mestrado em Estudos Cinematográficos da Universidade Lusófona. Desde 2011, acumula funções de ensino na Licenciatura em Cinema da mesma Universidade, sendo responsável pela orientação dos argumentos das curtas-metragens de final de curso. É actualmente Director Pedagógico do Programa Kino Eyes, Mestrado Internacional em Ficção Cinematográfica, cuja primeira edição terá início em Setembro de 2015.



Tiago Hespanha

Licenciou-se em arquitetura em 2004 e completou o Master en Documental de Creación da Universidade Pompeu Fabra, em Barcelona, Espanha, em 2012. É realizador e sócio da produtora de cinema TERRATREME FILMES. É professor no programa internacional de mestrado em documentário DOCNOMADS, desde 2012. É membro dos ATELIERS VARAN, desde 2014.

Realizou os filmes: Revolução Industrial, co-realizado com Frederico Lobo (2014 - Estreia Mundial no Visions du Réel, Nyon, Suiça), Visita Guiada (2009 - Prémio do Público no Festival Internacional de Cinema Indielisboa, editado em dvd pela TERRATREME), O Presente que Veio de Longe (2008 – Integra a Colecção “Tão Perto, Tão Longe” editada em dvd pela Fundação Calouste Gulbenkian), Despolido I e Despolido II (2007 – Prémio do Festival de Microfilmes de Lisboa), Andar Modelo (2007),  Quinta da Curraleira (2006 – Prémio Primeiro Olhar, Encontros de Cinema e Video de Viana do Castelo).


Francisco Costa

Francisco Costa nasceu em Elvas no ano de 1976. Enveredou, na escola secundaria, pela área das artes e mais tarde termina o bacharelato de cinema e vídeo na Escola Superior Artística do Porto. Estagia num filme produzido pelo Paulo Branco. Em 1998 trabalha como editor de vídeo na Expo 98 de Lisboa. Desde aí tem vindo a exercer trabalho como editor de vídeo e cinema em projectos de todo o tipo para televisão e cinema. Alem disso filmou e editou quatro curtas metragens com a produtora OverlookFilmes da qual faz parte como produtor. Também foi convidado para realizar sessões de planetário para o planetário do centro multimeios de Espinho e actualmente para o planetário de Lisboa.